Cesta básica aumenta 1,20% na região, aponta Nupes

Pelo segundo mês consecutivo, após dois de queda, o preço da cesta básica no Vale do Paraíba subiu 1,20% em maio, segundo levantamento do Nupes (Núcleo de Pesquisas Econômico-Sociais), da Unitau (Universidade de Taubaté)

12 JUN 2018   |   Por Jornalismo  |   09:10
Foto: Rogério Marques/OVALE
Cesta básica aumenta 1,20% na região, aponta Nupes
Supermercados de toda região estavam funcionando com apenas 30% dos produtos

Pelo segundo mês consecutivo, após dois de queda, o preço da cesta básica no Vale do Paraíba subiu 1,20% em maio, segundo levantamento do Nupes (Núcleo de Pesquisas Econômico-Sociais), da Unitau (Universidade de Taubaté).

Trata-se do segundo maior aumento no valor da cesta desde junho de 2016, quando subiu 3,28% no Vale, de acordo com série histórica do Nupes. O recorde anterior foi em abril deste ano, com alta de 1,21%.

O valor da cesta com 44 produtos, sendo 32 de alimentação, sete de limpeza e cinco de higiene pessoal, passou de R$ 1.538,79 em abril deste ano para R$ 1.557,18, em maio. No ano, a cesta acumula alta de 2,61%.

Em maio do ano passado, a cesta básica custava R$ 1.550,66, 0,42% a menos do que ela vale no mesmo mês de 2018.

PRATELEIRAS.

Os produtos que mais contribuíram para a alta no valor da cesta básica na região foram cebola (52,45%), batata (17,72%) e tomate (14,58%), em razão de questões climáticas, baixa produtividade e a paralisação de 10 dias dos caminhoneiros, no final de maio.

Na contramão, caíram de preço itens como ovos (-8,34%), laranja pera (-7,34%) e mandioca (-5,19%).

Em maio, a cesta mais barata da região é a de Taubaté (R$ 1.548,56) e a mais cara em São José (R$ 1.570,10). Em Caçapava, a cesta custa R$ 1.551,15 e em Campos do Jordão, R$ 1.558,91.

Todos os municípios registraram aumento na cesta na comparação com o preço de abril: Caçapava (1,95%), São José (1,31%), Campos do Jordão (1,02%) e Taubaté (0,51%).

CAMINHONEIROS.

Para demonstrar os impactos da paralisação dos caminhoneiros no bolso dos moradores da RMVale, o Nupes comparou os preços de 10 alimentos antes e durante a greve.

A batata foi o item que mais subiu, com 58,93% de alta, passando de R$ 2,80 o quilo, na segunda semana de maio, para R$ 4,45 o quilo, na quarta semana do mês.

O tomate aumentou 29,14% (R$ 5,32 para R$ 6,87 o quilo), o frango teve alta de 22,88% (R$ 4,72 para R$ 5,80 o quilo), a abobrinha saltou de R$ 3,41 para R$ 4,12 o quilo (20,82%) e a cenoura foi de R$ 3,01 para R$ 3,62 o quilo (20,27%).

Também subiram a cebola (17,06%), contrafilé (9,75%), leite em caixa (7,72%), acém (7,16%) e a banana prata (6,86%).

Fonte: OVALE
















Classificados

Newsletter

Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.