Em protesto, moradores pedem parque municipal no Bosque da Tívoli

Cerca de 200 pessoas se reuniram na avenida contra corte das árvores

12 MAR 2018   |   Por Jornalismo  |   09:36
Foto: Pedro Ivo Prates/Meon
Em protesto, moradores pedem parque municipal no Bosque da Tívoli
Moradores protestam contra o corte de árvores do Bosque da Tívoli

O domingo (11) foi de protesto contra a derrubada de 430 árvores do Bosque da Tívoli, em São José dos Campos. Cerca de 200 pessoas se reuniram na avenida Tívoli pedindo o cancelamento da obra, que pretende criar um estacionamento na área.

Os manifestantes começaram a se reunir por volta das 10h, com cartazes de rejeição à obra e proteção do meio ambiente. Lideranças da manifestação, agendada pelas redes sociais, se revezavam ao microfone.

No local, as árvores da avenida foram adornadas com uma faixa preta no tronco, como sinal de luto pela possível derrubada da vegetação do bosque.

A proposta, de acordo com uma das organizadoras do protesto, Andrea Luswarghi, é convencer a prefeitura a comprar a área para que ela se transforme em um parque municipal, assim como já aconteceu com o Vicentina Aranha.

“As árvores desse bosque são importantes para a qualidade de vida da cidade, que, aliás, tem um déficit de 400 mil árvores. Esperamos colher milhares de assinaturas para mostrar à prefeitura que este é o interesse da população”, comenta.

Presente na manifestação, o ambientalista André Miragaia (PV), ex-secretário de Meio Ambiente de São José, afirma que existem soluções de engenharia que poderiam evitar a derrubada das árvores para resolver a questão de estacionamento na área.

“Se a questão é fazer um estacionamento para o hospital, você pode investir em outras soluções. Ninguém contabiliza o custo ambiental para a cidade com esta perda. Sem as árvores aqui, a gente cria uma ilha de calor na região. Lembremos que a área fica à beira da Dutra e do Anel Viário, lugares com enorme fluxo de veículos e adensamento de poluição”, afirma.

Proprietário da página ‘Arborização São José dos Campos’, Wagner Ribeiro afirma que a mobilização em volta das árvores do Bosque da Tívoli refletiram numa preocupação maior com a arborização da cidade.

“O número de acessos cresceu bastante com pessoas procurando informação sobre a questão do bosque. Espero que este seja um bom sinal para que todos se conscientizem da importância das árvores nas ruas e bairros da cidade”, comenta.

Já a presidente da ONG ‘Amais’, Dandara Gissoni, veio de Caçapava para apoiar a movimentação dos moradores da região. De acordo com ela, o importante é o povo se fazer ouvir.

“Até quando os políticos vão governar para os empresários. O povo precisa ir para a rua mesmo, não ficar só no Facebook reclamando e vendo as coisas acontecerem. Ninguém vai tirar as nossas árvores”, diz.

Participação mirim

Os jovens e crianças também abraçaram a causa.  Foi o caso das escoteiras Pollyana Ferrão Neves e Tainá Julia Faria, ambas de 11 anos. As duas saíram do bairro Vista Verde para dar seu recado nos cartazes que estamparam.

“A gente precisa escolher a cidade que queremos. Ou ruas com árvores e qualidade de vida, ou um lugar cheio de prédios e sem nenhum verde. Eu prefiro lutar para que as árvores fiquem”, diz Tainá.

“O escoteiro é amigo da natureza. Não pode arrancar tantas árvores para construir um estacionamento. Fiquei revoltada”, comenta Pollyana.

Entenda o caso

No bosque, a empresa Fênix, ligada ao Grupo Marcondes Cesar, pretende construir um estacionamento. A área conta com de 8,4 mil m² e conta com 274 árvores adultas e 156 árvores exóticas.

A derrubada das árvores teve início em 26 de fevereiro. O corte foi autorizado pela Cetesb, mas a obra foi paralisada no dia 27 por ordem da prefeitura.O terreno possui uma grande diversidade de aves, como tucano , jacu, cambacica , bem-te-vi , sanhaço, sabiá (laranjeira , do campo e do peito branco ), fim-fim, suiriri , saíra amarela , gavião e beija flor.

Na quinta-feira (8), uma comissão de moradores foi recebida por vereadores na Câmara de São José dos Campos.  Pelo menos seis parlamentares manifestaram apoio e se comprometeram interceder em defesa da área verde da Vila Betânia.

Um deles é o vereador Sérgio Camargo (PSDB), que nesta sexta-feira (9) conseguiu uma liminar na Justiça barrando o corte das árvores.

Fonte: Meon
















Classificados

Newsletter

Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.